Informais vão se cadastrar em aplicativo para receber auxílio emergencial de R$600

Governo federal lança na terça (07/04) aplicativo para que os profissionais se cadastrem para receber o benefício. Usuários do Bolsa-Família terão dinheiro depositado direto na conta. Calendário de pagamento será divulgado segunda.

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, anunciou em entrevista coletiva, nesta sexta (3), que a Caixa Econômica Federal vai lançar, na próxima terça (7) um aplicativo de celular, para que os trabalhadores autônomos e informais que não estão inseridos no Cadastro Único (CadÚnico) se cadastrem para receber o auxílio emergencial de R$ 600, aprovado pelo Congresso e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, para auxiliar as famílias no enfrentamento à crise causada pela pandemia do coronavírus.

Já os beneficiários do Bolsa-Família e os inscritos no CadÚnico, que sejam elegíveis ao benefício, vão receber o valor a partir da próxima semana, sem a necessidade de nenhum cadastro específico.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que na próxima segunda-feira (6), será divulgado o calendário de pagamentos. Ele alertou que não existe ainda o aplicativo, que será lançado somente na semana que vem e deverá ser o mais baixado do mundo.

Minuta do decreto que vai regulamentar os pagamentos diz que a autodeclaração que será feita pelo trabalhador pela internet ou também pelo app não vai garantir o benefício de forma automática. Os informais serão obrigados a aguardar a análise dos dados antes de ter acesso aos recursos.

Mulheres e trabalhadores mais idosos terão prioridade no pagamento. A renda mínima emergencial vai contemplar famílias com renda de até três salários mínimos. Serão atendidos pessoas com mais de 18 anos que não tem carteira assinada ou que atuam como conta própria informal, como ambulantes e faxineiras, além de autônomos e desocupados que não estejam recebendo seguro-desemprego. O benefício poderá chegar a R$ 1.200 para mulheres chefes de família.