Concurso para auditor do TCU tem edital autorizado

Foi publicado no Diário Oficial da União 20 oportunidades, porém, o pedido pelo governo federal eram 30 vagas.

O aguardado novo concurso do Tribunal de Contas da União (TCU) foi autorizado nesta segunda-feira (02/03/2020), por meio de publicação em Diário Oficial. De acordo com o documento, a oferta será de 20 vagas para o cargo de auditor federal de controle externo. Além disso, a seleção será para formar cadastro de reserva de pessoal com lotação em Brasília.

O quantitativo é um pouco menor do que o pedido encaminhado ao governo, que era de 30 postos, incluindo também vagas para técnicos. Com isso, o próximo passo é formar a comissão organizadora e definir o nome da banca, para finalmente poder divulgar o edital de abertura de inscrições. Segundo informações internas, a intenção é iniciar a seleção em abril.

O órgão não conta com certame em validade para auditores desde 1º de dezembro de 2017. Para concorrer ao cargo é exigida formação de nível superior em qualquer área. O salário inicial é de R$ 21.947,82, com jornada de trabalho de 40 horas semanais.

Além disso, os servidores do órgão também contam com benefícios, incluindo auxílio-pré-escola de R$ 791,58, auxílio-alimentação de R$ 1.011,04 e assistência médica de R$ 174,48, além de auxílio-transporte.

No caso de técnico, no último processo seletivo do TCU, realizado em 2015, foram oferecidas 42 vagas, destinadas para as cidades de Rio Branco (AC), Manaus (AM), Salvador (BA), Brasília, São Luiz (MA), Cuiabá (MT), Belém (PA), Recife (PE), Porto Velho (RO) e Boa Vista (RR).

A banca foi o Cespe/UnB e a seleção contou com uma prova objetiva com 100 questões, sendo 50 de conhecimentos básicos e 50 de conhecimentos específicos, além de duas provas dissertativas. A primeira era uma questão de conhecimentos básicos e uma de conhecimentos específicos e a segunda, tinha uma peça prática de conhecimentos específicos.

A prova de conhecimentos básicos era composta pelas seguinte matérias: língua portuguesa, direito constitucional, noções de informática e atualidades.

Em conhecimentos específicos, direito administrativo, execução orçamentária e financeira, controle externo e noções de administração.

Auditor

Para auditor, o último, também em 2015, teve 66 vagas, sendo 30 para auditoria de tecnologia da informação em Brasília e as demais para auditoria governamental, para as cidades de Rio Branco (AC), Macapá (AP), Manaus (AM), Brasília, Cuiabá (MT), Belém (PA) e Boa Vista (RR).

A banca também foi o Cespe/UnB e a prova contou com 200 itens, sendo 100 de conhecimentos gerais e 100 de conhecimentos específicos, além de duas provas discursivas, a primeira com duas questões de conhecimentos gerais e a segunda com uma questão e uma peça técnica de conhecimentos específicos.

Em conhecimentos gerais foram cobrados assuntos relacionados à língua portuguesa, língua inglesa, raciocínio analítico, matemática financeira, noções de estatística, controle externo, direito constitucional, direito administrativo, direito civil, direito processual civil, direito penal, auditoria governamental e análise de informações.

Para auditoria governamental, na parte de conhecimentos específicos, noções de economia do setor público e da regulação, contabilidade I – contabilidade geral, análise das demonstrações contábeis, contabilidade de custos, contabilidade pública, administração financeira e orçamentária e administração pública.

Para a área de tecnologia da informação: gestão, governança de TI e engenharia de software, desenvolvimento de sistemas, infraestrutura de TI, segurança da informação e fiscalização de contrato de tecnologia da informação.