4 dicas de como organizar as suas finanças sendo Freelancer

investimento-freelancer-finanças-poupar-salario-qualifique-já-ives-c-silva-im-criativa

Você freelancer quer aprender como organizar suas finanças corretamente, continue sua leitura!

É muito comum a desorganização financeira entre as pessoas, e os freelancers não escapam deste hábito ruim. Muitas vezes, é normal que o profissional freelancer imagine que não exista meios de se organizar, pelo motivo de não haver salário fixo. Entretanto, esta é um grande mito que será desconstruído no artigo de hoje. Se você, freelancer, quer aprender como organizar suas finanças corretamente, continue sua leitura!

1. Realize uma boa divisão das finanças

Você saberia dizer quais finanças dizem respeito ao seu “eu freelancer” e ao seu “eu pessoal”? Se não, saiba que aprender a dividir as despesas de cada parte é essencial para compreender o que pode ser otimizado em sua rotina financeira.

O começo é simples: basta uma folha de papel e uma caneta. Divida a folha ao meio, e de um lado, escreva “Despesas Pessoais”. Do outro, escreva “Despesas Freelancers”. Não se esqueça de incluir o gasto de cada despesa.

  • O que são despesas pessoais?

Do lado intitulado “despesas pessoais” inclui-se despesas com lazer, alimentação, despesas da sua casa, contas, entre outras que dizem respeito ao que você gasta com você mesmo.

  • O que são despesas freelancers?

Se você trabalha ao estilo home office, faça um levantamento das despesas com internet, por exemplo, (é importante considerar a porcentagem do valor que você utiliza para o uso apenas de trabalho), materiais de escritório, licenças de softwares, entre outras despesas que são essenciais para o andamento de seu trabalho.

Você pode utilizar gratuitamente aplicações parecidas com excel para fazer planilhas, onde você pode incluir novos dados todos os meses, ou semanas.

2. Estabeleça metas

Estabelecer metas para cada gasto realizado é importante para você progredir financeiramente. Analise os gastos que você citou anteriormente. É possível reduzí-los? Há algo supérfluo em sua lista? Reflexão é a palavra chave para este momento.

3. Invista parte do que ganha

Levando em consideração que não há um salário fixo para sua modalidade de trabalho, a sugestão é que você abra uma conta em uma corretora ou procure investimentos acessíveis junto ao seu banco, e coloque aproximadamente 10% de todo trabalho realizado.

Desta forma, você poderá garantir que não se incomodará com imprevistos futuros, provenientes da falta de rendimentos fixos.

Entretanto, é importante que você faça disto um hábito, e não se esqueça de manter o dinheiro em conta – não realizando retiradas supérfluas.

4. Por fim, utilize a tecnologia ao seu favor!

A dica final é: explore aplicativos e sites de gerenciamento de finanças. Eles são muito úteis para documentar cada gasto e cada entrada de dinheiro. Desta forma, você também poderá analisar se está administrando corretamente seu dinheiro. Legal, né?

Se gostou das dicas não deixe de compartilhar com os seus colegas que também são freela. Abraços!